Ever tried. Ever failed. No matter. Try again. Fail again. Fail better. Samuel Beckett

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

NHS - Serviço Nacional de Saúde Inglês

[Vale a pena consultar os comentários abaixo pois têm muita informação interessante sobre o funcionamento das farmácias e NHS]
Ao chegar a Londres uma das primeiras coisas a fazer é registar no NHS. Eu registei-me dois anos depois de ter chegado. Existe quem diga que é importante fazer isso porque qualquer tratamento que tenha de ser feito (por exemplo algo simples como engessar a perna) e exames serão pagos na totalidade por mim. Não meto a mão no fogo mas sei que existe um protocolo de saúde entre países da união europeia que em caso de acidente como partir uma perna o doente não terá de pagar os custos totais do tratamento. Já não sei onde li/ouvi isto (se alguém saber melhor avise). No passado era necessário ir à loja do cidadão pedir um documento onde estaria a data de ida e regresso do destino de férias e que esse documento serviria como seguro contra as despesas.

Dúvidas à parte. Nos primeiros meses depois de chegar estava mais preocupado como pormenores como encontrar emprego, trocar de casa... e quando finalmente tive alguma estabilidade morava em Balham mas devido à minha morada teria de me inscrever no NHS de Streatham Hill. O positivo é que lá falavam todas as línguas (farsi, vietnamita, mandarim, português, "you name it"). O negativo é que, indo lá, provavelmente teria uma probabilidade maior de levar um tiro ou uma facada do que de ser atendido pelo médico. O facto de o meu médico ter de ser obrigatoriamente alguém com um nome árabe também não me inspirou grande confiança.

Há cerca de 6 meses lá tive de ir a uma consulta, e também, de me inscrever no NHS. Como mudei de morada (menos de 2km da anterior), também mudou o meu consultório e médico de família que me é designado. Será sempre assim que mude de morada, mesmo que apenas poucos quilómetros, e que seja uma área pertencente a outro consultório.
O consultório fica numa esquina em frente a estação de metro de Tooting Bec e colado com uma Igreja.

Logo a entrar dá para ver grandes diferenças com o que tinha em Portugal no Cacém. Uma sala de espera minúscula de um edifício muito antigo com uma carpete com manchas (provavelmente de alguém que teve outras coisas mais urgentes a fazer) mas lavada. Alguns folhetos com informações típicas de um serviço de saúde e cadeiras velhas, pouco confortáveis, mas que fazem o serviço. Fui até ao balcão com apenas uma funcionária e sou imediatamente atendido por não existir qualquer fila. Pergunta-me se estou inscrito e quando entrei no país. Eu desfaço-me em desculpas, com receio de receber uma resposta torta mas a senhora nem reacção tem. Não está ali para me julgar e é isso que faz. Fico com consulta marcada logo para o dia seguinte por volta das 6 da tarde.
Digo isto porque em Portugal teria de perder uma manhã porque ninguém daria consultas em horário pós laboral. Neste centro de saúde posso ter consulta no máximo até as 6h30. Tempo para marcar uma consulta - menos de 5 minutos.

{quem não está interessado em saber como funcionam as coisas em Portugal podem saltar esta parte}
[Como termo de comparação tenho o centro da saúde do Cacém. Há uns 10 anos era um edifício de vários andares a precisar de obras, em frente à estação de comboios. Pouco depois criaram o novíssimo centro de saúde no Cacém "de cima" e fui "obrigado" a ficar nesse para continuar com a minha médica de família. Esse centro fica agora a 1km da estação, com poucos transportes alternativos e sem qualquer lugar para estacionar o carro por ser uma zona residencial. Cadeiras pouco confortáveis mas bonitas e novíssimas. Televisões LCD em cada sala de espera. Julgo que são 8 salas de espera (cada uma sensivelmente o mesmo tamanho que a de tooting bec) mas todas numa espécie de open space. Onde, embora só se consiga ver as pessoas da sala em frente, o som das televisões é partilhado assim como os diálogos de quem vai lá apenas para meter a conversa em dia. Cada sala de espera com pelo menos uma funcionária para atendimento e marcações que ora está ocupada ora está "lá para dentro" formando-se filas com frequência.
Para garantir a consulta naquele dia (ao invés de daqui a um mês) tem que se ir para a entrada do centro antes da chamada. Dado que vivemos num país de chico-espertismo, muitos começaram a aparecer 1 hora antes do centro de saúde abrir. E, por isso, outros começaram a aparecer ainda antes do sol nascer para chegar mais cedo que os primeiros e assim conseguir lugar. O resultado é que todos os dias temos pessoas de manta vestida alinhadas à porta do centro pelas 5/6h da madrugada (alguns malucos às 4h). Pelas 8h os seguranças abrem as portas. As consultas deviam de começa às 9h mas não. Nunca a minha médica chegou às 9h (sempre por culpa do transito da IC19 e tal) e com perto de 2h de atraso. Por essa altura ficamos a saber quantas senhas estão disponíveis. Já não me recordo mas é um número ridículo tipo 5 com uns 2 extra quando há menos consultas maternais. Geralmente as pessoas a espera são pensionistas que falam e queixam-se muito e muito alto para quem, supostamente, está doente. Cada consulta demora no mínimo uns 30min que pode muito facilmente ser 1h porque a médica de família também tem de que ser Psicóloga. Tempo para marcar uma consulta - Nunca menos de 3h para garantir consulta no próprio dia. Tempo desde atendimento até fim da consulta - Pelo menos 2h30 se for um dos primeiros números.]

No dia seguinte lá fui eu à consulta como combinado. Entrei e tinha apenas uma pessoa sentada na sala de espera. Recebo um formulário para preencher onde têm as perguntas típicas como nome dos progenitores, estado de saúde dos mesmos etc. Mas também uma que não estou habituado a responder "Quantas unidades de bebida alcoólica bebe por semana?". E julgo que davam exemplos como 1 copo de vinho = 2 unidades. E isso preocupou-me porque na altura estava a beber pelo menos 2 gins tónicos por dia e nem conseguia fazer contas de cabeça suficientes para saber quantas unidades eram. Acabei por não responder e dizer que só bebia socialmente.

Acho que demorei uns 15 minutos a responder ao formulário e uns 2 minutos depois estava a ser chamado para ir ao Doutor. O Doutor Amin é um senhor indiano com já alguma idade mas bastante simpático. A forma, e especialmente o olhar quando me fazia perguntas, intimidou-me porque me parecia um pouco "serial killer" (um olhar tipo Hannibal Lecter mas com olhos mais arregalados com algumas cataratas). Contei-lhe a minha história e ele sem rodeios disse-me logo o que era, porque acontecia e que medicamentos precisava tomar. Acabei por aproveitar paras me queixar de outros assim que ele desculpou rapidamente como sendo "stress". Eu tornei a bater no assunto e ele, por descarga de consciência, deu-me um frasquinho para fazer analise de urina.

Tempo de consulta contando desde que entrei no centro - 30 minutos. Descontando o tempo que demorei a preencher o formulário diria que a consulta durou pouco mais de 10 min. Tudo directo ao assunto, sem conversas de café.

[foi-me dito nos comentários abaixo que não existem farmácias oficiais NHS e que por isso o seguinte está incorrecto]
Fui à farmácia (uma oficial do NHS, não apenas um boots) para comprar os medicamentos pedidos pelo médico. A farmácia parecia-se mais com uma mercearia. Tinha chocolates, gel pro cabelo, pentes e outras tantas cenas que já não me lembro bem mas que nunca ia encontrar numa farmácia Portuguesa. Os medicamentos não foram baratos. Pelo recibo não tive qualquer comparticipação pelo estado.

Só ao chegar a casa é que me lembrei que não paguei nada pela consulta.


Para um próximo post fica a minha experiência com um hospital de Londres.

22 comentários :

pedro disse...

hurray!primeiro post de 2012!!

Desde já te agradeço pelo tema escolhido pois a minha aventura londrina está a dias de começar e vou ter de passar pelos rituais habituais de quem inicia vida noutro país.
vou ter em consideração muito daquilo que li aqui e tambem por isso te agradeço pelo blog.

em relação ao documento necessário para evitar os encargos a nivel de saude..eu pedi o cartao europeu de saude que me garante o tratamento de qualquer assunto relacionado com saude como se fosse um nacional do pais em causa,caso me dirija a um estabelecimento do estado!Não custou nada e demora 5 dias uteis a chegar a casa.Pedi pelo site da segurança social e tem validade de 3 ou 4 anos se nao estou em erro.
Pelo site da segurança social podes fazer quase tudo,aconselho vivamente a pedirem uma password que ficará associada ao vosso numero de seg social,para alem de que têm ainda uma linha de apoio ao cliente que ja me safou de filas enormes.

Queria mesmo era ter o nin assim que ai chegasse porque tenho receio de me exluirem a partida por falta dele..mas isso ja vai ser um processo bastante mais demorado!

Cheeerz!

Sérgio disse...

Só para esclarecer que a primeira parte do post não é verdade....

Passado 3 semanas de estar no UK tive que ir de urgência para o hospital com uma pedra nos rins. Não estava registado no NHS e justifiquei isso com o facto de estar no UK há apenas 3 semanas... Depois disso só me perguntaram nome, morada e número de telefone, mais nada! Nem apresentei identificação!
Fui tratado no hospital local, transferiram-me de ambulância para um outro hospital com a especialdade, estive internado 4 dias até que, quando estabilizei, enviaram-me para casa com uma carrada de pain-killers e comprimidos para ajudar a pedra a sair. No final, paguei 0.

Anónimo disse...

Olá! Sendo alguém que trabalha em farmácia aqui no Uk tenho a dizer-te que nao há farmácias oficiais do NHS e nao oficiais. O NHS simplesmente nao tem farmácias, tem sim proprietários diferentes, uns sao cadeias como a Boots e outras sao independentes ( como existem em Portugal). Em relacao ao que pagaste pelos medicamentos ha comparticipacao e nao é pouca, aqui nao se paga por caixa de medicamento, paga-se por item e cada item, independentemente do que seja, custa £7.40. Levares 1 caixa de paracetamol custa o mesmo que levar 5! Ha certos medicamentos, certamento nao os que necessitaste, que chegam a custar mil e tal libras a caixa de 28 mas o doente paga sempre 7.40 apenas. Nao te deixes enganar pelo aspecto das farmácias, é de facto pc agradavel visualmente e vende-se muito mais coisa, mas nao tem nada a ver com o negócio que é em Portugal. Em relacao aos medicos, os ppobres coitados tem um prazo maximo de 10 minutos por consulta por isso só podem ir directos ao assunto e se tiveres mais que um problema tens que marcar outra consulta, é assim que se garante que nao haja atrasos nas consultas. No se pagam consultas e nao se pagam exames ou analises. Espero ter ajudado a esclarecer o modelo de saúde por aqui :)

La super fille d'Ixelles disse...

Actualmente basta pedir-se um cartão de saúde europeu, costuma ter uma validade de 2 anos, se não estou em erro.

Rafael Alves disse...

Acho que o documento a que se refere é o Cartão Europeu de Seguro de Saúde. Fui tratar desse cartão numa Loja do Cidadão uns tempos antes de ir de férias para Londres.

London Calling disse...

olá pedro. obrigado pelo teu comentário que será útil também para outros. Em primeiro lugar nunca que vão excluir por não teres NIN. Se sim, eu ajudo-te a partir as pernas aos tipos.

já deves ter visto isto mas aqui vai:
http://www.direct.gov.uk/en/MoneyTaxAndBenefits/Taxes/BeginnersGuideToTax/NationalInsurance/IntroductiontoNationalInsurance/DG_190057

"You will need one in certain circumstances, such as claiming benefit, or applying for a job or student loan. "

Mais abaixo diz que precisas de um NIN em 3 circunstancias:pedir um emprestimo pra estudante, pedir subsídios, quando começas a trabalhar.

Há que já me tenha dito que se deve/pode pedir o NIN antes de começar a trabalhar (e até quem tenha descoberto um site que o faz mesmo antes de entrares no País por um dinheiro em troca [aposto ser uma fraude]) mas não acredito.
É verdade que por não teres NIN quando começas a trabalhar ser-te-a atribuído um número provisório contra o qual pagarás Emergency tax. Que será uma taxa superior à taxa que deverias pagar. Mas depois de teres o número permanente vão-te devolver o valor taxado a mais.

Depois de teres emprego na primeira semana telefonas para o JobCenterPlus para marcar uma entrevista:
http://londoncallingblogspot.blogspot.com/2009/03/job-sucker-plus.html
essa foi para mim a parte mais complicada.

depois levas o teu contracto passaporte e prova de morada fazem-te umas perguntas aparentemente para meter conversa mas mais para verem se estás a entrar no País com motivos genuínos e em 30min ou menos fica tudo tratado. Acho que no meu caso foi 15 desde a hora q entrei no edifício.

Tenho de fazer um post sobre isto. fica para os próximos dias.

London Calling disse...

Olá Sérgio. Não percebi porque dizes que a primeira parte da minha história não é verdade mas depois confirmas que o é com a tua história.
Mas muito obrigado pelo comentário. era um exemplo assim que procurava e que acho q vai ajudar que vem para cá.

London Calling disse...

Olá Anónimo, pena não te teres identificado porque o teu comentário é mesmo muito útil.
A minha memória não é das melhores mas tenho alguma certeza que o Doutor me disse que a farmácia era do NHS. Acredito que estejas a falar verdade e sabes melhor disto o que me leva a querer que ele provavelmente tem interesse que eu vá aquela farmácia e não a uma grande cadeia como o boots que julgo também aceitar receitas médicas. A farmácia tem um aspecto familiar onde todos são indianos (o que não é de estranhar por estar em tooting) mas que fiquei a pensar se ele (o Doutor) não teria um laço familiar com os donos da farmácia.

obrigado pelo comentário e volta sempre para dar a tua opinião.

London Calling disse...

obrigado ao Rafael e também ao Super por se lembrarem do nome do tal documento que me estava por baixo da língua.

Sérgio disse...

Boas!
Eu estava a referir-me à parte que dizes: "Existe quem diga que é importante fazer isso porque qualquer tratamento que tenha de ser feito (por exemplo algo simples como engessar a perna) e exames serão pagos na totalidade por mim.". Mas relendo agora percebo que tu estás a dizer que há pessoal que diz isso mas que tu não concordas totalmente :)
Só para ficar claro que na altura em que a situação que descrevo no comentário acima aconteceu, eu não tinha nada - não estava registado na NHS e não tinha cartão de saúde europeu.
Impressiona-me em Portugal estar a falar-se de taxas moderadoras quando aqui tive fiz diversos exames e observações, fui transferido de hospital, estive internado 4 dias e levei medicamentos para casa a custo 0! E nunca sequer me foi pedido um documento para me identificar!!!
Além disso, devo dizer que todos, desde de médicos a enfermeiras, etc, foram super-simpáticos (lá tive que ouvir algumas histórias sobre o algarve lol)

A.Amorim disse...

olá
Gosto de me por a par dos mundos lá fora, por isso queria mais que tudo encontrar um blogue/similar de alguém a fazer descrições locais (a parte mais interesse para o comum dos visitante suponho) fora do país.
Mas no teu blogue foi onde já encontrei mais variedade (o único até), mas um da Holanda já não está ativo :( .
Por isso se alguém recomendar ou encontrares algum de fora de Londres ou do Reino Unido (Europa essencialmente) seria bom para ter mais "escolhas de lugares " e de leituras.

um abraço, desta terra, pra essa :D

Eugénio disse...

Bom Ano LondonCalling. Só agora li este post, mas venho apenas confirmar que efectivamente tudo o que o farmacêutico anónimo disse é verdade.

As farmácias no UK são propriedade privada e prestam serviços financiados pelo NHS (como o aviamento de uma receita, entre vários outros).

£7,40 é apenas uma contribuição simbólica para o NHS. Muitas vezes o preço do medicamento (como disse o anónimo) é muitíssimo superior.
E verdade seja dita, muito pouca gente paga pelos medicamentos. (acima dos 60 anos, abaixo dos 16, diabéticos, epilépticos, hipotireoidismo conferem "medical exempltion" e mil e uma outras razões ("benefits") tornam-te isento de qualquer pagamento.

Mesmo em último caso, quem paga por receitas e necessita de medicação regular nunca pagará mais de £104 por 12 meses (podem comprar este "pre-payment certificate" do NHS que lhes garante o não pagamento de receitas durante esse período de validade do cartão)

London Calling disse...

Obrigado A.Amorim. Variedade não é bem qualidade. Estava aqui a pensar como podia descrever o meu blog e acho que posso dizer que é um caixote do lixo. Tem muita tralha. por vezes podes encontrar alguma coisa que te ajude. Mas tem praticamente tudo fora de prazo.
Muitos dos posts importantes (impostos arranjar casa...) n os fiz na altura certa e agora ja estou um pouco esquecido. outros comecei e acho já nem fazem sentido serem publicados...é assim.
Obrigado e volta sempre.

London Calling disse...

Obrigado pela tua contribuição Eugénio, um bom ano.

London Calling disse...

Olá Sérgio. Eu tive um problema relativamente sério com a visão mesmo antes de ir para londres. e depois qd fui de férias aproveitei para marcar consulta no meu oftalmologista (como já n tinha seguro até doeu qd paguei) porque n confiava nos médicos de cá e porque aquele Doutor conhecia o meu caso. Acabamos por ter uma curta conversa que começou com "então porque veio ter consulta cá e n la?". Expliquei o que te disse agora e o Doutor contou-me que foi estagiar para um centro que ha ca que é tipo o sonho de qq medico porque é uma referencia mundial de oftalmologia. Mas ao mesmo tempo disse que o nosso sistema de saúde Português foi uma cópia do Inglês e que foi um erro. Porque é insustentável.
e isso concordo perfeitamente. O Inglês está-se a provar que é insustentável (cortes valentes na saude) e o Português está falido desde a nascença.
Vou falar no proximo post sobre isto mas.... aqui tens saúde de alta qualidade, que não vai chegar a todos, e tens a saúde de mt baixa qualidade que é para todos. A quantidade de exames que amigos meus fazerem nestes últimos meses acho que não iam acontecer aqui. Só te fazem exames na última. Um colega meu esteve 4 meses com dores no pulmão e coluna que não o deixavam dormir. Fazendo google dos sintomas os resultados eram Cancro de pulmão. Eles só fizeram exames muito tarde e...1 radiografia. singular.
ele cagou pro NHS e foi a espanha (país de origem) onde lhe fizeram 4 radiografias mais outros exames.

Não podemos ter um sistema de primeira com cidadãos de segunda. Se temos cidadãos que fazem de tudo para fugir aos impostos, para receber subsídios por tudo e por nada, não podemos ter uma minoria que lhes trata da saúde.
Os mesmos reformados que recebem reformas míseras e ficam horas à espera nos hospitais e centros de saúde para terem as credenciais para terem os medicamentos comparticipados (e eles ainda se ficam a queixar de pagar a menor parte do seu valor), NUNCA descontaram para a sua reforma ou seg social. Simplesmente porque não havia. E quando começou a haver, o chico esperto não foi na cantiga.
Engraçado que sendo um país pobre (pelo menos nos últimos 35 anos) nos comparamos com os serviço do estado de outros países que geram muito mais riqueza. Mas nunca ninguém foi comparar a qualidade dos serviços que temos para aquilo que pagamos por eles.

Nestas últimas semanas tem sido uma seca aturar os telejornais de praticamente todos os canais de televisão portugueses. Não têm notícias para dar e vão entrevistar o pastor, a senhora que viu o assalto à caixa multibanco, o frequentador do ginásio que vai abater as calorias do natal e as crianças de 7 anos de um colégio privado que vão falar da crise.
Estamos numa das maiores crises economias que se teme agravar-se mais. Eu certamente não viverei altura de tão pouca prosperidade na minha vida! e o que é que os jornalistas fazem? NADA! Não informam. Não explicam porque é que a saúde custa tanto. Porque a CP está falida?
já agora...o L123 (que era o passe que usava) custava-me menos de 50€ qd entrei pra faculdade e há uns 4 anos estava nos 55€ acho eu. Hoje está no 63,25€. Em 10 anos teve um aumento de menos de 15€.
O passe que uso cá que acho equivalente é o Zone 1-3 com o oyster card. que custa 131.40£. custava 123£ em dez 2011. e 116£ em dez 2010. aumento de 15£ em 2 anos. Houve algum jornalista a noticiar isto? não. mas já me cansei de ver as reportagens sobre os transportes de londres que são muitos e muito frequentes, só para ao mesmo tempo falar mal dos de lisboa e desculpabilizar quem anda de carro todos os dias.

London Calling disse...

[cont]
Depois de saber este aumento eu fiquei fudido. E quantas pessoas foram prá rua aqui contra os aumentos dos transportes? Zero. Já antes destes aumentos alguns colegas meus achavam andar de tube muito caro e que por isso este ano iam comprar bicicleta. ouviste bem, bicicleta. à chuva, -5graus, gelo, neve...e o que é que os lisboetas dizem com os aumentos nas scuts na gasolina? "é pah vou ter de deixar de comer!". foi isto que vi numa belo trabalho jornalistico. A gasolina ia aumentar e o tuga ia deixar de comer...não andar de metro...não andar de bicicleta... se é para apertar tem que ser há grande.

e pronto...perdi-me aqui um pouco com a conversa mas fica dito. O sistema de saúde tuga é muito melhor do que "merecemos". temos de reduzir qualidade (tempo por doente, exames) para deixar de termos tantas filas de espera.

Sílvio disse...

Boa tarde, existem por aqui farmaceuticos que me possam dar uma dicas de como arranajar trabalho nos uk?
Obrigado!

London Calling disse...

Ola Silvio
Ja conheces o blog http://migrantscript.blogspot.co.uk/ ?

é de um farmaceutico chamado eugenio. dá uma olhadela.

Sara Chaves disse...

Obrigado pela info toda pessoal.. Isto está-me a dar jeito para quando eu for ;)

Anónimo disse...

Boa tarde,

gostei muito da explicação sobre o sistema de saúde. Mas tenho uma dúvida, não sei se me podem ajudar. Uma vez que deixamos de fazer descontos perdemos direitos na Segurança Social. Por exemplo, se ficar doente em Portugal posso na mesma ter acesso aos hospitais e tratamentos? Falaram-me que era preciso pedir um cartão especial no Reino Unido...É mesmo? E, se sim, onde se pede?

Obrigada!

London Calling disse...

Olá anonimo. A tua pergunta faz todo o sentido. Se nao contribuis porque é que deves ter direito? Ja agora tenho--me questionado sobre mtas queixas q nos portugueses temos dos consulados mas...se nada descontamos será que temos o direito de nos queixar? (Fica para outro pros)

O facto de teres passaporte portugues acho q muda mtas coisa. Acho q isso, por si so, te da direito a usufruir do SNS (mas digo isto sem conhecimento de causa).
Mas se pensares na quantidade de idosos, domesticas que nunca descontaram mas que continuam a ter esse direito.

Conheço tugas que foram ao seu antigo medico de familia em pt sem problemas. Fui a alguns hospitais varias vezes mas para dar sangue (que ja agora, recomendo a todos os que têm ferias de verao marcadas...é uma especie de remessa de emigrante) por isso so sei por amigos ou conhecidos.

Dito isto acho q vale a pena falar no oposto. De quem vai para outro pais da UE e quer usufruir di SNS de lá. Para isso exite o cartao europeu de saude. Eu nao o fiz porque acredito (mas tenho de confirmar melhor) que existe um pacto entre os estados da uniao em que todos contribuem para um bolo de fundos que serve para os gastos com cidadaos de outros estados membros (mas n tenho 100% certeza). Por outro lado ja ouvi dizer que podes ter de pagar um custo inflaccionado(mais prox do real custo) mas que depois te é devolvido quando preencheres papelada a provar que és de um estado membro.
Por via das duvidas fica aqui um link sobre o assunto
http://www.nhs.uk/NHSEngland/Healthcareabroad/EHIC/Pages/about-the-ehic.aspx

Uma coisa que tem chateado mt os britanicos é o chamado turismo de beneficios sociais. É mais focado em subsidios de desemprego a estrangeiros mas tambem de serviço no sns ingles (NHs).
Quando falo nisto o tuga vem logo com a faca na mao dizer :"pois querem so os beneficios da emigracao?".
mas tentem colocar a moral de lado e pensem.
Os recursos da saude nao sao ilimitados. Para que alguem com cancro receba tratamento sugnifica que outros tiveram de ser recusados. Para alguem que ocupe aquela cama, aquela urgencia de hospital, significa que tu, ou um familiar teu perde prioridade...e provavelmente a vida.
A Romenia tem algumas das taxas de sobrevivencia de cancro mais baixas da europa (em alguns q vi, como do pulmao chega a ser 10x pior que pt...que, curiosamente tem algumas das melhores a todos os niveis)...a romenia tb tem uma percentagem de fumadores superior a media...
Acham justo que um romeno tragam um familiar com cancro para inglaterra para ter tratamentos a custo zero? Vou relembrar que para o NHS poder absorver este doente...tem de ignorar outros...como o caso de uma jovem com 20 anos que morreu com cancro de mama porque (mesmo depois de insistir) lhe foi ignorado o pedido de um teste alegando que ela era nova demais para padecer de tal mal.....
Não se trata so de aumentar filas de espera, de ocupar camas...infelizmente sei que uma caixa de comprimidos de quimio chega a custar mais de 5mil euros ao estado...por doente! Se for muito frio...posso dizer que para muitos casos esse dinheiro n é gasto por muito tempo, porque muitos ficam-se pela estatistica. Mas...e, por exemplo um seropositivo? Hoje um a sida é uma doença crónica. E os medicamentos são na mesma ordem de valor. O que acham de um doente seropositivo que vem para inglaterra ter um tratamento de primeira a custo zero? Justo? Imaginem os milhoes que os contribuintes pagam justamente para prevenir este tipo de doenças para que depois tenham de desembolçar na mesma para cidadãos de outros países com outras prioridades,
Existe uma lei polemica aprovada ha cerca de 3 anos onde qualquer seropositivo com autorizacao de residencia em inglaterra tem direito a antiretrovirais a custo zero.


London Calling disse...

E mesmo se tal nao fosse, o codigo NHS é quase o oposto do americano. É um cuida-se primeiro pergunta-se depois. Qualquer um que apareça em dificuldades (mesmo sendo emigrante ilegal) a porta de um hospital não lhe será negado cuidados...e ainda bem.

O problema é quando se torna moda vir tratar de hernia a londres deixando a factura para os contribuintes...
Por estas e por outras que os partidos de extrema direita estao a crescer. E ameaçam sair da europa...

Popular posts

Followers :

Tags

Closed Stations

Tag Cloud

Music Portugal Gigs Tube City Life Cultures Banksy Street Art TV Elections Festival Holborn Sainsburys Workplace flat hunting Brexit Football Lisboa bicycle Eleições GDIF Snow Sport arquitectura BBC Britain Canary Wharf Charities Comedy Deolinda Emigration Greenwich Humour Photography commute wage Ahhhh Saudadeeeee Arte Beer Benfica Camden Town Chelsea Chinatown ClaphamJunction Emigrante English English People Euro Flu Graffiti Halloween Islington Movies NHS Old Street Olympic Games Oxford Street Rough Trade Royal Family Seinfeld Tax Tooting Trafalgar Square Urban Voo Weather theater Accent Anniversary Argentina Art Bank Bank Holiday Boat Race Brasil British Museum Buenos Aires Cambridge Christmas Lights Christmas Tree City Docs Drinks EasyJet Economics Entrevista Euro 2012 Europe Holiday Ice Impostos Iran Ireland Jornalismo Language Livros London Marathon Lost in translation MEC Marathon Meditation Metronomy National Insurance Number National Portrait Gallery Nevão New Oxford Street Notting Hill Oxford Circus Piccadilly Circus Pub Referendum Riot Roller skate Royal Weeding Santa Scotish Scotland Sintra South Bank TimeLapse Union Chapel Vencimento Volcano World Cup coffee cycle economy lux nurse AI Alain de Botton America Anarchy Ano Novo Chinês António Damásio Apple Arcade Fire Argos August Balham Barbecue Beach Beckett Bed and Breakfast Benefits Big Ben Big Train Blasted Mechanism Blitz Blur Boeing 747 Bomba Boobs Booze Boris Johnson Brighton Bristol Britcom Brixton Bus Business CCTV CSS CV Cannon St Caribou Cell Cerebro Champions League Charles Dickens Cheias Chevrolet Cicio Cities City Airport Cloud Clubs Colégio Militar Comic Relief Consulado Covent Garden Cowards Cricklewood Croydon David Bowie Deflation Dia de todos os Santos Dublin East London Edward Hopper Eficiencia Einstein Euro 2016 Eyjafjallajokull Facebook Fado Figo Filand Flatiron Flight Friends Gherkin God Goodbye Gray's Inn Guincho Harrods Helpfull History Homeless House MD Hugh Laurie IPad Iceland Income Tax Interpol Iphone Jamie Oliver Jeremy Clarkson Jessie J Jobs Jogging Jonathan Ross José Saramago KOKO Katie B Kings Cross Laughter Lewisham Leyton Lianne Las Havas Litle Britain London 2012 London Bridge London Dungeon London Eye London Film Festival London Sealife Love Lupini MOD MS Madame Tussauds Madeira Maria Rita Marylebone Massive Attack May Mayor Mercearia Michael C Hall Microsoft Momento alto Money Monty Python Moonspell Movember Moçambique Mumbai NIN NYC National Insurance Nero Nuclear O2Arena OK Go Organ Oxford Oyster Pancake Paquistan Paralympic Games Peckham Pink Floyd Pistorius Play-Doh Poetry Pompeia Pontos da Semana Poppy Porto Primitive Reason Putney RATM Randy Pausch Recital Rejection Letter Religion Remembrance Day Renting Return Robert Capa Rota do Chá Royal Guard Run Rush Hour Rússia Save Miguel Saúde Science Shard Sikh Simpsons Sky Slang Sleet Space SpaceInvaders Sport Relief Square Mile St Patrick's Day St Paul's Cathedral Staind Stamford Bridge Storm Stratford Street Poet Strike Subsídios Summer Sun SuperBock Surf Swearing TFL TV Licence TV ads Tank Man Tea Telemovel Tesco Thames The Portuguese Conspiracy The Scoop The Smiths Tiananmen Tories Tower Bridge Tremoço Twitter UK VAT Vertigo Volvo WakeUpLondon Walkabout Waterloo Wembley Wimbledon Winter climbing code dEUS didgeridoo discotexas flat mate geek living cost march moulinex news pastel de nata plugs and sockets protest skyscraper west end