Ever tried. Ever failed. No matter. Try again. Fail again. Fail better. Samuel Beckett

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Happy 150th Birtday Tube!

Estava um pouco desiludido por ter perdido esta oportunidade. Tinha outras prioridades nesse dia (como ver o Hobbit) e achei que seria muito tempo a secar para 5 segundos de desilusão.
Estava na estação de Earls Court, na District Line, e o metro estava parado na estação há muito tempo. Estava a ficar irritado porque ia ver o jogo do glorioso em Kensal Green (restaurante Benfica) e estava já a ver que ia chegar atrasado. Nos altifalantes diziam constantemente "No flash photography please" e eu a pensar...porque raio vai alguem tirar fotos numa estação tão feia como esta? E só quando tomei atenção aos comentários das pessoas em volta e aos sorrisos de turista na plataforma é que me apercebi que ia ter sorte.

No passado dia 10 de Janeiro o metro de Londres, vulgarmente conhecido por Tube, fez 150 anos de existência. Reza a história que a 10 de Janeiro de 1863 foi inaugurada a linha Metropolitan que é hoje a Hamersmith & City (existe uma outra Metropolitan nos dias de hoje só para confundir mais). Uma locomotiva a vapor percorreu as 3 milhas e meia (5.6Km) entre Paddington e Farringdon. Na altura foi um acontecimento que atraiu 40 mil Londrinos na inauguração e 26 mil diariamente. Hoje são diariamente quase 4 milhões (sendo 4.4 milhões o recorde batido nos primeiros dias dos Jogos Olímpicos) transportados que nem sardinhas por 270 estações espalhadas em 402Km (1107 milhões anualmente). Sendo a linha de metro mais antiga do mundo (também a primeira a ter comboio eléctrico) onde viajam mais passageiros diariamente que nas restantes linhas ferroviárias de todo o Reino Unido.
Este dia foi tão importante que até a Google fez um dos seus brilhantes doodles:


E mal saí da carruagem para a linha imediatamente ao lado já ouvia o chu...chu... da Met 1, a locomotiva a vapor construída em 1890 e que ficou em serviço até 1963. Fiquei tão nervoso a tentar filmar que acho que só olhei decentemente 2 segundos para a locomotiva que puxava a Metropolitan Railway Jubilee Carriage No 353 (carruagens construídas em 1892) e onde estavam os sortudos que pagando 180£ por bilhete conseguiram ser escolhidos no sorteio.

Apesar de a carruagem não parecer estar a acelerar consegue-se ver no final da estação a fumarada que provocava. E isto numa estação alta e bem arejada como Earls Court. Não consigo imaginar como seria numa fechada como a esmagadora maioria.

Ao ler este artigo é possível imaginar o que seriam aqueles primeiros tempos.
Carruagens de primeira para os sôtores poderem fumar à vontade em compartimentos fechados. Iluminação a gás. E toda aquela fumarada da locomotiva a vapor. Tudo isto num espaço fechado e deveria ser receita para o desastre.

Alguns saíam da estação confusos e tontos (provavelmente com dores de cabeça como sinais de intoxicação de CO2). Se para alguns isto era sinal que aquilo era vindo dos infernos. Para outros isto era um sinal de negócio. Logo nos primeiros dias clientes foram parar ao hospital para tratarem o que seria uma "vitiated atmosphere" (atmosfera viciada) e que o tratamento seria gentilmente fornecido pela farmácia com a sua "Mistura Metropolitana".
Já nessa altura uma "mulher com uma criança ao colo não é vista com uma cidadã de primeira classe". Ainda hoje se discute esse tema todos os dias no Tube. Mas isso fica para outro post.

Apesar de ser motivo de festa nem sempre o Tube foi notícia pelos melhores motivos. Durante o Blitz na Segunda Grande Guerra muitos foram os que se refugiaram no Tube para se protegerem dos Bombardeamentos Alemães. A 14 de Outubro de 1940 às 20h02 uma bomba de 1400kg penetrou a estação de Balham (a que apanho diariamente) e rebentou na passagem entre as duas plataformas. 64 Londrinos perderam a vida soterradas ou afogadas quando as canalizações rebentaram:


Mais recentemente a 18 de Novembro de 1987 um fogo que se alastrou na estação de King's Cross ceifou a vida a 31 pessoas. E já neste século os ataques combinados de Islamistas radicais provocaram a morte de 56 pessoas a 7 de Julho de 2005.
Algumas destas notícias fui lendo ao longo dos meses desde que cheguei cá. E curiosamente quando lia sobre os 7 anos dos ataques (7 do 7/7) , no exacto dia em tinham decorrido 7 anos, estava a percorrer um dos percursos dos terroristas (Russel Sq). O que me fez pensar que... podia ser qualquer um de nós.

É impossível imaginar Londres sem o Tube. E é por isso que acho escandaloso quando conheço alguém que veio a Londres e não andou de metro. O Tube são as veias e artérias que vão até ao coração da City. Não ver o que se passa dentro dele é como um médico diagnosticar alguém sem lhe tomar o pulso. Pode ver que está pálida. Pode sentir que está febril. Mas não saberá o que se passa com esta cidade!



Alguns links interessantes:
http://www.bbc.co.uk/news/uk-20968919
http://www.bbc.co.uk/news/uk-england-london-20901856
http://www.telegraph.co.uk/travel/picturegalleries/9791007/The-history-of-the-Tube-in-pictures-150-years-of-London-Underground.html?frame=2447148
http://www.bbc.co.uk/news/uk-england-london-20042559

14 comentários :

Rafael Alves disse...

Excelente artigo! Demostra bem a paixão pelo Tube, que também eu partilho. E os vídeos estão brutais! Parabéns!

London Calling disse...

Obrigado Rafael. Ha algum tempo que queria escrever qq coisa sobre o tube. Entretanto o tempo foi passando e vou-me esquecendo das greves, do dia que me deram um pontapé...do dia em que queria dar um pontapé e dos dias em que me acordam no fim da linha já sem metro pra voltar a casa.
Nos proximos tempos tenho de falar na serie the tube que a bbc fez no ano passado.
http://www.youtube.com/watch?v=JowTyzuosFw

Anónimo disse...

ainda tive a oportunidade de ver isto neste fim de semana ( fez o mesmo circuito no domingo à tarde )

brutal!

Joana disse...

O meu comentário não tem nada a ver com este post (desculpa), apesar de eu ter gostado na mesma já que a história de Londres nunca deixa de me fascinar (algumas partes pelo menos). Gostava de te agradecer pelo post das perguntas sobre ir viver para Londres. Penso que muita gente ainda tem bastantes dúvidas, como é natural. Eu vou agora (em Março) viver para aí e estou em modo de 'pesquisa' há anos (só acabei a minha licenciatura o ano passado). Gostava também de te dizer, caso mais alguém te pergunte, que o HSBC aceita alguns clientes estrangeiros mesmo antes de chegarem a Londres. Dá para fazer uma 'application' online, o banco contrata agências de crédito para ver o 'credit history' do potencial cliente e depois informa se foi bem sucedido. Tive a sorte de ser aceite e assim, felizmente, terei conta em Londres mal chegue aí. Espero que alugar um quarto não seja muito difícil. Reparo que muita gente pede referências e muitos também querem gente já empregada, o que pode ser complicado para 'newcomers', mas não há-de ser nada (esperemos).

Seja como for, gostei do post e gosto do blogue - ambos informativos :)

London Calling disse...

Olá Joana.
Boa! Não sabia que isso era possível. Conheço quem tenha tentado abrir no Loyds, ha uns anitos atrás, e foi recusado por não ter emprego.
E, sinceramente, não me faz muito sentido. Mesmo em Portugal para abrir conta tens de ter número de identificação fiscal. Tal como aqui terás o National Insurance Number. Mas só o podes ter se tiveres 16 anos nascido e criado aqui...ou depois de começar a trabalhar.
Logo não percebo com que dados criam uma conta. Para não falar que podes perfeitamente dar uma morada qualquer em Portugal ter uma conta, um cartão e com isso fazer um contracto 24 meses com uma operadora movel...pegar um iphone de borla e bazar de volta para Portugal.

Mas eles depois enviam um cartão para a tua morada em portugal? Senão como é que usas a conta (sem a seca de ir sempre ao balcão)?

Alugar um quarto deve ser pacífico. Mais dificil seria quereres um flat ou estudio só para ti. Com um quarto tens sempre os teus flatmates que acarretam com a responsabilidade de pagar a renda do flat todo ao landlord todos os meses. Tens a grande vantagem de ser rapariga. Muitos flatshares só querem raparigas...ou são de rapazes à procura de uma rapariga para balançar.

A economia voltou a piorar e depois de um trimestre a crescer 1% voltámos a entrar no negativo...se se repetir significa nova recessão. A terceira seguida. O triple dip recession. E isso pode ter repercussões no mercado de trabalho.
No entanto mesmo durante a segunda recessão o desemprego baixou. E tem sido assim consecutivamente. Algo que deixou quase todos espantados. Da janela do meu escritório vejo 3 novos arranha ceus a serem construídos (ao pé do Guerkin). E gruas por todo o lado. Um sinal de retoma. Logo os dados são um pouco contraditórios. A area financeira e das ITs continua boa...mas as restantes acho que penam um pouco. Não quero desanimar-te mas é só para gerires expectativas. Mas, certamente, não será tão mal como Portugal.
Boa Sorte.

AutoClandestino disse...

Gostaria de agradecer à Joana pela informação do HSBC. Já fiz minha candidatura online para a conta! Logo trarei novidades!

Joana disse...

Relativamente à tua questão do banco, pode-se fazer a candidatura online (no máximo 3 meses antes de te mudares para lá) e se se for aceite, só se abre a conta realmente quando já se está em Londres. Quando eu já estiver lá, vou a uma sucursal com a minha carta de aceitação (que tem um número de referência) e eles abrem-me a conta. Penso que o HSBC se precavê ao usar as agências de crédito. Estas agências tiveram autorização para analisar o meu histórico bancário em Portugal e também conseguiram ver que contas tenho associadas à minha (no meu caso, a da minha mãe) e assim sabem que se eu me puser a andar, conseguem obrigar alguém a pagar (seja eu, ou a minha mãe).

Espero que tenhas razão relativamente ao quarto! E quanto ao emprego...sim, obviamente também sinto medo e sei que estou a arriscar, mas em Portugal está mesmo no fosso e eu tenho de tentar. Para não mencionar que eu SEMPRE quis viver em Londres, pelo menos parte da minha vida.

P.S. - Ia-me esquecendo de adicionar que na minha candidatura eu tive de responder se tinha emprego lá ou se ia estudar e eu disse que estava desempregada, por isso eles sabem e mesmo assim aceitaram :)

Joana disse...

* Só mais duas coisas. As agências de crédito contratadas pelo banco têm acesso ao nosso histórico bancário e para se ter histórico, não se pode mentir na candidatura. A outra coisa é que para ter National Insurance Number não se tem de ter emprego antes do pedido do número. Tanto se pode começar a trabalhar sem NI como se pode pedir o NI sem emprego, especialmente aqueles que segundo as leis de livre circulação (ainda) têm direito a trabalhar e viver no UK.

London Calling disse...

Tens razão Joana. Acho que fiquei a pensar que o NI só com emprego pelo que li aqui:
http://www.hmrc.gov.uk/ni/intro/number.htm

"When and how to apply for a National Insurance number:
-If you need to claim benefits and/or tax credits
-When starting work or setting up as self-employed
-If you have applied for a student loan"

Por ler isto assim assumi que só se podia pedir se uma das condições se verificasse. (Não podes pedir benefits sem ser inglês ou sem descontar alguns meses).

Mas tens te ter uma entrevista pessoal para ter NI. Não pode ser pedido estando em Portugal.
E não vejo grande beneficio de pedir abertura de conta a partir de portugal quando depois temos de ir novamente ao banco pessoalmente e esperar que chegue o cartão. Quando se pode abrir uma conta na hora estando cá. Mas é sempre bom ter a opção e a ideia que algo já está a andar. por isso obr pela tua dica.

Na europa é mais dificil de fazer o tipos de fraudes que falei. Mas tomei conhecimento de casos de cidadão de nacionalidade brasileira que faziam isso mesmo. Não ha o tal protocolo entre bancas que lhes permite fazer essas verificações de crédito...e mesmo que houvesse quem é que ia perder tempo com tribunais por alguns milhares de libras?

Agora os bancos estão mais desleixados do que quando abri conta (2009) porque também querem mais liquidez. Mas aparentemente o HSBC não é esquisito com ninguém...recentemente teve de pagar uma multa por ter assumido depósitos de crime organizado servindo para lavagem de dinheiro.

Uma cena é certa. Se tens guito pra depositar...eles estão lá para ajudar.

Violeta disse...

Ai, que emoção! Que sorte que tiveste! :D Amo o metro de Londres! :D

London Calling disse...

Olá Violeta.
Acho que foi uma (muito) pequena recompensa por 4 anos de comutações como se fosse uma sardinha. :-)

Joana disse...

Quis fazer a candidatura a partir de Portugal mais para ter a certeza que quando chegasse não ia demorar muito a tratar disso e para ter a certeza que algum banco me aceitava, mesmo sem emprego. Em relação ao NI, sim, eu sei que tenho de telefonar para o job centre plus e marcar entrevista e só algumas semanas depois é que fico a saber. Mas já estou a contar com isso ;)

MF disse...

O metro de Londres fascina-me desde pequena e este teu post está genial! Estive aí na semana passada!
Ando em preparação para deixar Portugal e mudar-me para Londres.
Já vi vários textos e dicas aqui no blog e agradeço por partilhares informação tão útil!
A minha principal preocupação é se vou conseguir arranjar emprego a partir de cá...
Iniciei hoje o meu blog e vou relatando todos os obstáculos que vou ter até me instalar aí ;)
www.mgatlondon.blogspot.com

London Calling disse...

Olá MF.
Pela minha experiencia (1 ano a enviar cvs apartir de pt com apenas 1 entrevista marcada...mas desmarcada em cima do dia) achava que isso era um mito. Que encontrar emprego em londres a partir de portugal acontecia apenas a quem tinha conhecimentos muito específicos e que tinham sido head hunted. Mas não contei com o que a crise no final de 2008 fez.
Se estavam a despedir às centenas e a deixar de recrutar os que cá viviam porque é que iam querer recrutar alguém que trabalha num mercado que desconhecem? (os ingleses sabem muito pouco sobre como funciona o sistema de ensino ou o mercado laboral em pt. para eles é como se fosse uma india (ou um paquistão)...mão de obra barata).

Um ano depois (2010) e a crise começou lentamente a chegar a pt e começou a primeira vaga de jovens a sair e a vir para londres (póscrise2008). Aí comecei a conhecer alguns casos de quem tinha conseguido emprego sem ter de deixar tudo (sair de pt e ficar cá desempregado). Mas o que me surpreendeu era que não eram casos de malta com conhecimentos específicos e raros, ou até malta muito boa naquilo que fazia. O que aconteceu foi que passaram as entrevistas telefónias e vieram a londres (pago do seu bolso) para uma entrevista pessoal final. E ficaram. Depois foi entregar a carta de demissão com a certeza de que aterrariam em Londres já com um contracto. Mas se pensares bem qualquer um pode convidar-te para uma entrevista final e tal não quer dizer que tenhas o lugar certo. Pode sempre existir alguém melhor que tu e o teu investimento vai para o lixo. Sei que muitos acham que uma empresa so ia chamar-te para entrevista pessoal caso tenham grandes certezas de que és a pessoa certa para o lugar porque é uma despesa grande ires para londres apenas para uma entrevista mas...se pensares bem, ninguém está preocupado com os teus interesses ou a tua carteira. Eles vão chamar-te como chamariam qualquer um e corres o risco de gastares dinheiro em varias viagens para londres desnecessariamente. E foi por causa disso que achei que "se era para isso" mais valia estar aqui e estar disponivel para uma entrevista no dia seguinte.

O que te tens de perguntar é, se te colocares do lado da empresa, achas mesmo que eles vão ficar varias semanas à espera e pagar viagem para alguém que tem tanta experiencia ou cv como centenas de londrinos? Eu conheci quem não só respondia sim a esta pergunta como não tinha experiencia nenhuma necessaria para trabalhar cá....mas dizia que só saía por pelo menos 4000€ mes limpos. Os tugas são muito irrealistas.

Outra questão é veres se o que te vão oferecer cá vai compensar a perda de qualidade de vida (esquece uma casa com um quarto de "escritorio" ou sequer um quarto com as dimensões tugas. esquece ir para o trab de carro...esquece morar a 10min do escritório (caso seja em central london)) ou se vais manter o teu poder de compra estando cá. Se tens emprego em PT, sair deveria ser mais do que ganhar um pouco mais de dinheiro (mas acho que no teu caso tu gostas mesmo de Londres...mas viver em londres é muito diferente de estar de ferias.).

E, por ultimo, e o mais importante...tem cuidado com o que é "bom de mais para ser verdade".
Empresas quem nem site têm mas que te pedem todos os dados pessoais...ou que até te pedem dinheiro para tratarem de papelada...(podem roubar-te a identidade e pedir emprestimos em teu nome)
Ou mesmo procurar casa e assinar contractos sem ler de ponta a ponta.

Boa Sorte!

Popular posts

Followers :

Tags

Closed Stations

Tag Cloud

Music Portugal Gigs Tube City Life Cultures Banksy Street Art TV Elections Festival Holborn Sainsburys Workplace flat hunting Brexit Football Lisboa bicycle Eleições GDIF Snow Sport arquitectura BBC Britain Canary Wharf Charities Comedy Deolinda Emigration Greenwich Humour Photography commute wage Ahhhh Saudadeeeee Arte Beer Benfica Camden Town Chelsea Chinatown ClaphamJunction Emigrante English English People Euro Flu Graffiti Halloween Islington Movies NHS Old Street Olympic Games Oxford Street Rough Trade Royal Family Seinfeld Tax Tooting Trafalgar Square Urban Voo Weather theater Accent Anniversary Argentina Art Bank Bank Holiday Boat Race Brasil British Museum Buenos Aires Cambridge Christmas Lights Christmas Tree City Docs Drinks EasyJet Economics Entrevista Euro 2012 Europe Holiday Ice Impostos Iran Ireland Jornalismo Language Livros London Marathon Lost in translation MEC Marathon Meditation Metronomy National Insurance Number National Portrait Gallery Nevão New Oxford Street Notting Hill Oxford Circus Piccadilly Circus Pub Referendum Riot Roller skate Royal Weeding Santa Scotish Scotland Sintra South Bank TimeLapse Union Chapel Vencimento Volcano World Cup coffee cycle economy lux nurse AI Alain de Botton America Anarchy Ano Novo Chinês António Damásio Apple Arcade Fire Argos August Balham Barbecue Beach Beckett Bed and Breakfast Benefits Big Ben Big Train Blasted Mechanism Blitz Blur Boeing 747 Bomba Boobs Booze Boris Johnson Brighton Bristol Britcom Brixton Bus Business CCTV CSS CV Cannon St Caribou Cell Cerebro Champions League Charles Dickens Cheias Chevrolet Cicio Cities City Airport Cloud Clubs Colégio Militar Comic Relief Consulado Covent Garden Cowards Cricklewood Croydon David Bowie Deflation Dia de todos os Santos Dublin East London Edward Hopper Eficiencia Einstein Euro 2016 Eyjafjallajokull Facebook Fado Figo Filand Flatiron Flight Friends Gherkin God Goodbye Gray's Inn Guincho Harrods Helpfull History Homeless House MD Hugh Laurie IPad Iceland Income Tax Interpol Iphone Jamie Oliver Jeremy Clarkson Jessie J Jobs Jogging Jonathan Ross José Saramago KOKO Katie B Kings Cross Laughter Lewisham Leyton Lianne Las Havas Litle Britain London 2012 London Bridge London Dungeon London Eye London Film Festival London Sealife Love Lupini MOD MS Madame Tussauds Madeira Maria Rita Marylebone Massive Attack May Mayor Mercearia Michael C Hall Microsoft Momento alto Money Monty Python Moonspell Movember Moçambique Mumbai NIN NYC National Insurance Nero Nuclear O2Arena OK Go Organ Oxford Oyster Pancake Paquistan Paralympic Games Peckham Pink Floyd Pistorius Play-Doh Poetry Pompeia Pontos da Semana Poppy Porto Primitive Reason Putney RATM Randy Pausch Recital Rejection Letter Religion Remembrance Day Renting Return Robert Capa Rota do Chá Royal Guard Run Rush Hour Rússia Save Miguel Saúde Science Shard Sikh Simpsons Sky Slang Sleet Space SpaceInvaders Sport Relief Square Mile St Patrick's Day St Paul's Cathedral Staind Stamford Bridge Storm Stratford Street Poet Strike Subsídios Summer Sun SuperBock Surf Swearing TFL TV Licence TV ads Tank Man Tea Telemovel Tesco Thames The Portuguese Conspiracy The Scoop The Smiths Tiananmen Tories Tower Bridge Tremoço Twitter UK VAT Vertigo Volvo WakeUpLondon Walkabout Waterloo Wembley Wimbledon Winter climbing code dEUS didgeridoo discotexas flat mate geek living cost march moulinex news pastel de nata plugs and sockets protest skyscraper west end